Bem-vindo à Agência de Desenvolvimento de Juiz de Fora e Região!

Horário de Funcionamento de 13:00 às 19:00

Av. Getúlio Vargas, 455 / 4° andar Centro , Juiz de Fora, MG

(32) 3215.7100(32) 3217.9846

19Ago

Faculdade de Engenharia da UFJF organiza ciclo de palestra sobre PPP´s em comemoração aos 100 anos


por: Gisele Simões

 

Como parte das comemorações dos 100 anos da Faculdade de Engenharia da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), foi realizado no último dia 18, no auditório da Faculdade, em parceria com a ADJFR, um ciclo de palestra sobre Parcerias Público-Privadas (PPP´s) nas estruturas viárias e mobilidade urbana. A mesa de honra do evento foi composta pelo Diretor da Faculdade de Engenharia, prof. Hélio Antônio da Silva, pelo prefeito de Juiz de Fora, Bruno Siqueira, que é ex-aluno da Faculdade, e pelo Presidente da ADJFR, Jorge Montessi.

 

O diretor Hélio Antônio citou uma entrevista recente do prefeito de Bogotá, Colômbia, ao abordar a mobilidade urbana. "Quando se enriquece, tudo melhora: saúde, educação, alimentação, menos a mobilidade urbana", lembrou. "E esse não é um desafio só de Juiz de Fora, é do Brasil inteiro e talvez até do mundo todo."

 

De acordo com o prof. Hélio Silva, a Faculdade, há cem anos, está produzindo conhecimento, que vem contribuindo para a evolução da ciência, da tecnologia e da inovação no país: "Não estamos só produzindo conhecimento, mas formamos e entregamos ao mercado de trabalho milhares de profissionais que vêm colaborando para organizar, construir e desenvolver não só nossa cidade, mas a nossa região e nosso país. E também não estamos só formando profissionais de qualidade: entregamos uma formação muito mais importante, que é a formação de caráter cidadã, pautada dentro de um rigor ético e com senso crítico da situação política, econômica, social e ambiental".

 

Segundo o prefeito Bruno Siqueira, o crescimento do país está diretamente ligado à engenharia: "Com obras acontecendo, nós temos o país se desenvolvendo, através da infraestrutura. A Faculdade de Engenharia, sem dúvida, é um celeiro de grandes profissionais no país inteiro. São engenheiros em diversas áreas, responsáveis por excelentes e importantíssimas intervenções".

 

Já o Presidente da ADJFR, Jorge Montessi, ressaltou que o desenvolvimento sustentável sempre foi uma das bandeiras da Agência e destacou a importância de uma Faculdade como a de Engenharia ao completar 100 anos de formação profissional.

 

Na primeira palestra do evento, proferida pelo engenheiro eletricista e consultor do Banco Mundial, César Queiroz, o destaque foi dado à importância das Parcerias Público-Privadas (PPPs) na área de infraestrutura, principalmente para a mobilidade urbana. Para o engenheiro, o setor público nem sempre é capaz de resolver, sozinho, os problemas. "No início, tudo era público, e quando ficou claro que não era o suficiente, o setor privado foi trazido para complementar, não só na construção, mas principalmente na manutenção", explicou.

De acordo com Queiroz, o melhor exemplo de PPP na área de mobilidade urbana são as estradas com pedágios, cujos resultados são reconhecidamente melhores do que nas estradas 100% públicas. "O usuário tem vontade de pagar, desde que o serviço seja bom." No Brasil, apenas 1,5% do PIB é investido neste tipo de parceria, enquanto na média mundial é de quase 4%.

 

O professor William Aquino foi o segundo a palestrar. Formado pela UFJF há 40 anos, o docente explicou que a mobilidade urbana é um tema fundamental para os alunos do curso. "O engenheiro precisa pensar que a engenharia não é só a sua obra, a visão tem que ser mais ampla, da vida em geral, pensando no impacto que isso vai ter na vida das pessoas."

 

Aquino iniciou o tema confrontando interesses pessoais e coletivos com relação a água, energia elétrica, saneamento básico e transporte. Dos quatro, apenas em um deles - juntamente o que impacta diretamente na mobilidade urbana - os interesses pessoais ainda se sobreporem aos coletivos. Abastecimento de água, coleta de esgoto e distribuição de energia elétrica são todos feitos por empresas que fornecem os serviços para as pessoas. Já no setor de transporte, as pessoas ainda insistem em agir de maneira individual. Ele citou como bons exemplos as diversas obras de mobilidade que acontecem atualmente no Rio de Janeiro, e o corredor exclusivo para ônibus do centro de Juiz de Fora. De acordo com Aquino, iniciativas como esta, que priorizam os interesses coletivos, são o caminho para os grandes centros. "O fato é que devemos repensar as cidades, fazer uma revolução em qualidade de vida", concluiu.


Últimas Notícias



Galeria de Fotos